Curto-Circuito: Como Se Prevenir

Descubra como identificar e evitar o Curto-Circuito!

Você já deve ter visto saírem faíscas de uma tomada, numa espécie de micro explosão, conhecida como curto-circuito. Mas você sabia que 80% dos incêndios residenciais no Brasil são causados por problemas na rede elétrica, onde o curto-circuito é o principal responsável?

Um curto circuito nada mais é do que uma dissipação instantânea de energia. Essa dissipação ocasiona um superaquecimento dos condutores, que leva a reações violentas como as faíscas e explosões ditas anteriormente. Essas reações podem derreter a camada isolante dos cabos e levar a queima dos aparelhos e equipamentos. Por isso, o curto circuito é um dos principais causadores de incêndios devastadores em residências e indústrias e de acidentes domésticos causados por eletricidade.

Como o curto-circuito ocorre?

Imagine um circuito elétrico, que é o caminho que a corrente elétrica percorre. Ele é composto por um condutor,o fio, que normalmente é feito de cobre. Esse cobre é um material físico e, mesmo transmitindo a corrente elétrica, tem uma certa resistência, certo? Uma resistência que a corrente deverá vencer para conseguir seguir o seu caminho. Essa corrente elétrica prefere passar por um caminho com menos resistência possível, para evitar se esforçar muito.

Acontece que, ao passar pela menor resistência, a corrente adquire uma intensidade muito grande, porque ela não perde mais tanta energia. É esse aumento da corrente elétrica, que pode chegar a ordem de 10 vezes a corrente nominal, que causa o superaquecimento do fio!

O curto circuito é assim chamado porque representa o caminho mais curto que a corrente elétrica pode realizar em um circuito.

Como identificar um curto-circuito?

Sinais fáceis de notar nos indicam que está ocorrendo um curto-circuito em determinado ponto da sua rede elétrica e que você deve tomar medidas para evitar problemas mais graves e acidentes em sua residência. São esses:

  • Cheiro de queimado em aparelhos
  • Tomadas queimadas, ou seja, com manchas negras
  • Lâmpadas que queimam muito rápido
  • Interrupção da energia em um ou mais cômodos sem motivo aparente
  • Disjuntor que desarma constantemente
  • Fusíveis queimados

Quais os principais erros que causam o curto?

No dia a dia, o curto circuito pode ser verificado quando dois fios de alta tensão de postes nas ruas se tocam ou quando colocamos a extremidade de um fio metálico na tomada. Mas, as vezes, ações simples como ligar um determinado aparelho eletrodoméstico já o causa. Quando a corrente que entra no aparelho é muito alta, essa intensidade de energia se transforma em calor que derrete o material isolante do fio elétrico que separa o polo positivo do negativo e faz com que esses dois polos se encostem e cause o curto circuito. Nesses casos, o curto circuito é causado por algum erro humano. Os mais comuns são:

  • Uso de aparelhos elétricos próximo a água: A água, quando com impurezas e sais minerais, se torna um excelente condutor de eletricidade. Por isso, deve-se evitar usar aparelhos elétricos em ambientes úmidos, como por exemplo o secador na tomada do banheiro após um banho quente.
  • Falta de proteção nas tomadas: Tomadas desprotegidas facilitam a inserção de elementos metálicos por crianças pequenas e animais domésticos.
  • Sobrecarga de tomadas: O uso de adaptadores, como por exemplo benjamins, permitem usar vários aparelhos ao mesmo tempo ligados numa mesma tomada. Isso soma uma corrente muito alta num único ponto, elevando sua temperatura e até mesmo derretendo o adaptador.
  • Ausência de manutenção da rede elétrica: Os novos aparelhos eletrodomésticos exigem maiores demandas de energia para seu funcionamento, que podem não estar adequadas na rede elétrica atual da sua residência.
  • Ausência de projeto: Um projeto de instalações elétricas feito por um profissional qualificado dispõe de todos os sistemas de proteção e fios dimensionados para impedir o surgimento do curto circuito.

Como evitar o curto-circuito?

Portanto, para evitar o curto circuito, o primeiro passo é não cometer esses erros! Sendo assim, é de extrema importância ter os fios bem dimensionados, com diâmetros suficientes para evitar o superaquecimento. Também são essenciais interruptores adequados que desligam automaticamente quando detectam algum problema na rede elétrica, os disjuntores.

Ter os circuitos providos de aterramento ajuda a dissipar o excesso de energia e ter as fases bem distribuídas equilibram a intensidade da corrente, evitando picos de energia. Já uma demanda bem dimensionada e tomadas bem distribuídas evitam o uso de benjamins e o acúmulo de energia em um único ponto.

Todas essas medidas de segurança são fundamentais para evitar acidentes em sua residência e são tomadas ao se fazer um projeto de instalações elétricas com um profissional qualificado. A Fluxo Consultoria tem vasta experiência em projetos elétricos, contacte-nos!

Fluxo Consultoria

Somos um grupo de graduandos da UFRJ que decidiu ir além das salas de aula da mais tradicional Escola de Engenharia do Brasil. Em busca de vivência empresarial e experiência em gestão, queremos nos preparar o quanto antes para o mercado de trabalho. Para isso, realizamos projetos de engenharia com a supervisão dos professores para resolver os problemas de nossos clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *