Modelagem De Processos Fluxo Consultoria

Modelagem de processos de negócios: o que é, para que serve?

Modelagem de Processos – você já ouviu falar em BPM ?

Lendo um artigo muito interessante no Blog da Fluxo que fala sobre as vantagens do mapeamento de processos, resolvi escrever um pouco sobre a minha experiência profissional em modelagem de processos de negócios, ou BPM (business process modeling), na sigla em inglês. Quando eu digo a data em que tive o primeiro contato com a BPM, acabo entregando que não sou mais um aluno da engenharia: em 2001 trabalhei como membro da Fluxo Consultoria em um projeto incrível de BPM para uma escola lá no Recreio dos Bandeirantes.

Naquele projeto eu comecei a aprender o que é e para que serve a modelagem de processos e eu tive o prazer de ser orientado por dois feras da engenharia de produção e ex-membros da Fluxo Consultoria: Leonardo Marques e Jaime Chataque. Foi um projeto muito legal, pois fiz amigos e comecei a aprender sobre os desafios de se trabalhar com um grande amigo – o Breno Guerbatin, meu colega de turma que me ajudou muito no projeto.

Depois deste primeiro contato com a BPM, eu tive a oportunidade de aplicar seus conceitos em outros projetos na própria Fluxo e em um estágio na área de informática de uma grande multinacional francesa de cosméticos. Obviamente, trabalhando há mais de 10 anos na Nomus, tive a oportunidade de aplicar a BPM tanto internamente quanto em diversos projetos de clientes. E neste artigo irei compartilhar um pouco do conhecimento que acumulei durante esses anos.

O que é um modelo?

Antes de solicitar uma consultoria em mapeamento e otimização de processos, é importante entender mais sobre BPM e, por isso, fizemos esse artigo.

Um modelo nada mais é do que uma representação simplificada da realidade. Falar em modelo de processo talvez fique um pouco distante de assimilar para quem não tem experiência ou ainda não teve contato. Por isso, vou recorrer a um exemplo mais palpável para todos: a construção civil.

O que é um modelo de uma casa? Partindo do pressuposto que um modelo é a representação simplificada da realidade, a planta baixa e as demais plantas podem ser consideradas um modelo da casa pronta, que é a realidade. Se você souber interpretar as plantas, certamente terá a capacidade de imaginar aquela casa pronta. Em geral, quanto mais detalhado e próximo da realidade, mais difícil e trabalhosa é a produção do modelo.

Ainda no exemplo da casa, imagine que você queira vender um condomínio de casas. Muitos potenciais compradores não tem a capacidade de imaginar a casa pronta a partir de suas plantas, por isso, você pode recorrer a outros modelos mais próximos da realidade, como uma maquete virtual ou até mesmo uma maquete real em escala. Qualquer pessoa, vendo a maquete, terá a capacidade de visualizar a casa pronta.

É possível modelar negócios usando diferentes frames, não necessariamente a visão por processos. Em dois artigos do Blog Industrial você irá encontrar, exemplos com o modelo da gestão baseada em atividades e com o modelo das 5 forças de Porter, sendo que este artigo foi escrito pelo João Celes da Fluxo Consultoria.

O que é um processo de negócio?

Um processo de negócio nada mais é do que uma sequencia de atividades iniciadas a partir de uma demanda e com o objetivo de entregar algum resultado. Por exemplo, em uma indústria de manufatura existem diversos processos de negócios, que integrados entre si são disparados a partir de demandas internas, de clientes, de fornecedores, do governo, de órgãos da sociedade e entregam produtos prontos, relatórios financeiros, guias de impostos a pagar, níveis aceitáveis de emissão de poluentes, materiais em estoque para a produção, etc.

Novamente vou recorrer a um exemplo para ilustrar o que é um processo de negócio em uma indústria de manufatura: compras. Supondo que esta indústria tenha um sistema informatizado que detecte a partir da previsão de vendas que o nível de estoque não será suficiente para a produção, é disparado um processo de compras.

Neste processo, as pessoas do departamento de compras ao receberem a notificação da necessidade, fazem contato com os fornecedores, fazem cotações para obter preços, condições de pagamento e prazos de entrega, escolhem o fornecedor com as melhores opções, emitem um pedido de compra, monitoram a entrega, cobram do fornecedor por eventuais desvios em relação ao combinado e se certificam que os materiais comprados estão disponíveis no estoque.

Em um artigo recente do Blog Industrial, eu explico a importância de alguns processos de negócios para as indústrias e você pode ver mais alguns exemplos reais de processos.

O que é a modelagem de processos de negócios?

Juntando os dois “o que é” anteriores, fica mais fácil definir a modelagem de processos de negócios. A BPM é o trabalho realizado para se representar processos de negócios em modelos, utilizando determinadas metodologias e técnicas.

Você já viu fluxogramas? Um fluxograma é um modelo de um processo. Ao ler um fluxograma, você provavelmente irá imaginar o processo real, mesmo sem ter contato com a realidade. Obviamente que se o fluxograma tiver objetos com formatos que têm alguma representação ou significado específico e se você nunca tiver tido contato com a notação e não souber o significado de cada forma, você terá mais dificuldades em interpretar o modelo.

Na modelagem de processos de negócios, podemos dar diferentes níveis de detalhamento de cada processo modelado. Por exemplo, você pode fazer um modelo com o macro processo da empresa ou organização com uma caixa para compras – ou seja, todas as atividades realizadas nos processos de compras estariam dentro desta caixa e ela estaria ligada com recebimento, que estaria ligado com produção etc. Podemos fazer um outro modelo somente para detalhar os processos de compras, com uma caixa para cada processo dentro do processo de compras:

Como é feita modelagem de processos de negócios?

A modelagem de processos de negócios normalmente é feita a partir de entrevistas com os responsáveis pelos processos, pela observação da execução dos processos e pela análise dos documentos, sistemas e quaisquer outros instrumentos utilizados para apoiar a execução dos processos.

Existem diversas ferramentas ou frames para a modelagem de processos, como por exemplo o Aris e o BPMN. Independentemente da ferramenta utilizada, você pode utilizar a abordagem bottom up ou top down para fazer a modelagem:

  • Bottom up – você vai modelar de baixo para cima, ou seja, vai primeiro entender os processos nos seus detalhes e depois vai chegar à visão macro da empresa.
  • Top down – você vai modelar de cima para baixo, isto significa que primeiramente precisará ter a visão macro dos processos da empresa e depois detalhar cada macro processo.

 Para que serve a modelagem de processos de negócios?

A modelagem de processos de negócios pode ter diversos objetivos, como documentar o que é feito; melhorar o que é feito; padronizar; eliminar processos que não geram valor; automatizar processos com sistemas de workflow; etc. É muito importante ter em mente qual é o objetivo de um projeto de modelagem de processos antes de iniciá-lo, pois somente assim você obterá os melhores resultados.

Vou dar um exemplo relacionado à área em que eu atuo, pois a modelagem de processos ajuda muito no projeto de implantação de um software de gestão, em que é necessário um alinhamento dos processos reais aos processos do sistema. Como eu expliquei no post em que falo como funciona a implantação de um sistema ERP em uma indústria de manufatura, um dos principais desafios da implantação de um sistema de gestão é a adequação dos processos: o sistema tem processos pré-definidos, a empresa tem os seus processos reais.

Conforme eu expliquei naquele post, durante a implantação do sistema de gestão, invariavelmente encontramos alguns processos reais diferentes dos processos do sistema e dependendo da situação é recomendada a alteração do processo real ou uma adequação (ou customização) do sistema. Esta decisão entre adequar os processos reais ou os do sistema fica mais fácil de ser tomada quando temos os processos modelados e um dos benefícios que menciono no post em que falo o que é e para que serve um ERP é justamente a padronização dos processos.

A modelagem de processos pode ajudar a sua empresa?

Agora que você já sabe o que é e para que serve a modelagem de processos, você acha que ela pode ajudar a sua empresa?  Sabe aquela quinta via rosa do formulário de papel que você tinha que preencher há 10 ou 20 anos e não sabia a utilidade? Ou as atividades que você faz e quando alguém pergunta o motivo, a resposta é “aqui sempre trabalhamos desta forma”? Muito provavelmente após um projeto de mapeamento de processos você irá enxergar muitas oportunidades de melhoria, como eliminar atividades que não geram valor, criar novas atividades para melhorar o atendimento ao seu cliente, entre várias outras possibilidades.

Se você gostou da modelagem de processos e acredita que ela pode trazer benefícios para a sua empresa, entre em contato com a equipe da Fluxo que eu tenho certeza que eles irão fazer uma proposta bacana para um projeto de modelagem de processos e definirão um objetivo a ser alcançado.

Se você tem uma pequena ou média empresa ou indústria e acredita que a implantação de um software de gestão pode melhorar seus resultados, entre em contato com a Nomus, que nós iremos analisar suas demandas. Dependendo das suas necessidades, podemos fazer um projeto no qual a Fluxo faz a modelagem de processos e a Nomus implanta o sistema de gestão. O que acha?

Solicite um orçamento preenchendo o quadro abaixo!


Pedro Parreiras

Empreendedor Promessas Endeavor, Empreteco, Fundador da Nomus, Engenheiro de Produção pela UFRJ e Mestre em Engenharia de Produção pela COPPE, Membro da Fluxo Consultoria entre 2000 e 2003, trabalha desde 2000 em projetos relacionados à gestão da produção, tendo tido contato direto em mais de 100 indústrias.

This Post Has 15 Comments

  1. Excelente forma de explicar a modelagem de processos de negócios, tornou bem simples o entendimento.
    Parabéns pela didática

  2. Caro colega

    Inicialmente parabenizo você pela clareza e simplicidade com que abordou o tema. Desta forma, você passou o conceito muito bem.

    Atuei no mercado por muitos anos gerindo processos de implantação de sistemas e como sabemos, a qualidade dos processos determinam em muito, o resultado a ser alcançado.

  3. […] Falando um pouco sobre otimização da linha de produção( de forma a influenciar na contribuição para a atividade fim de uma empresa e alavancar seu desempenho), é necessário ultrapassar o operacional engessado e repensar a linha produtiva para cortar e/ou incrementar funções que gerem resultado quanto aos resultados estratégicos desta empresa. O que aumenta a rentabilidade da produção, seja através da remodelagem dos processos ou por se enxergar oportunidades de diminuição de custos. Saiba mais no nosso artigo sobre Modelagem de processos. […]

  4. […] Para que uma indústria funcione de forma eficiente, a sua logística deve funcionar de forma integrada, ou seja, todas as áreas da produção devem se comunicar de forma dinâmica, capazes de se adaptar aos obstáculos inesperados. Além disso, os processos da empresa devem ser bem definidos para garantir a produção uniforme e manutenção das características do produto. Saiba mais nesse artigo sobre Modelagem de Processos. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *