Desenvolvimento De Cosmeticos

Desenvolvimento de Cosméticos: 5 coisas que você precisa saber

O Brasil é o quarto maior consumidor de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos no mundo e, a cada ano, essa indústria movimenta mais de 40 bilhões de reais no país segundo a ABIHPEC que é a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos em seu panorama do setor para 2017. Quando se trata de desenvolvimento de cosméticos, devido a grande diversidade étnico-racial, natural, da flora e da fauna, grandes empresas o procuram para sediar grandes centros de pesquisa.

Neste cenário de grande movimentação de mercado e muitas opções nas prateleiras, quem quer ter um espaço nesse contexto deve  ter um diferencial. Para isso, muitos negócios buscam inovar em novos produtos ou em melhoramentos para aqueles já existentes. O desenvolvimento de cosméticos passa a ser, então, um foco indispensável para o sucesso do negócio, seja ele em larga escala ou independente. Se você pretende começar um negócio na área de cosméticos, ou melhorar seu desempenho, é necessário que saiba um pouco mais sobre algumas etapas.

1. Classificações

Existem diversas classificações para produtos, no desenvolvimento de cosméticos é importante que se tenha em mente a classe do produto tanto para aspectos de formulação quanto para comercialização. Uma classificação pode inclusive determinar a permanência do seu produto no mercado como é o caso das diferenciações feita pela ANVISA.  A agência diferencia produtos de Grau 1 e Grau 2, sendo:

Cosméticos de Grau 1: Produtos que se caracterizam por possuírem propriedades básicas ou elementares, cuja comprovação não seja inicialmente necessária.

Cosméticos de Grau 2:  Produtos que possuem indicações específicas, cujas características exigem comprovação de segurança e/ou eficácia, bem como informações e cuidados, modo e restrições de uso. 

Outros tipos de classificação podem afetar no desenvolvimento de cosméticos, como a diferenciação entre Cosméticos e Dermocosméticos, muito usada em farmácias e mais presente no nosso dia-a-dia. No caso desse tipo de formulação a separação é que os Cosméticos são aqueles produtos em que sua ação é imediata. Já os Dermocosméticos, são os produtos que agem de modo a tratar um problema a longo prazo, eles tem uma atuação mais profunda e utilizam ativos farmacológicos.

2. O que são Princípios Ativos

aloe-vera

Os princípios ativos são de extrema importância para a caracterização ou determinação das funcionalidades de um produto.  Dentro de diversas substâncias utilizadas, são esses que, por exemplo, tornam um creme hidratante passível de hidratação. Esses são os componentes principais a serem pensados no desenvolvimento de cosméticos e devem ser escolhidos pensando no objetivo do produto, intensidade de ação, legislação vigente, público alvo, etc.

Essas substâncias podem ser naturais, originárias de vegetais, animais ou minerais,  ou sintéticas, criadas em laboratórios. Elas podem ter limitações ou restrições de uso regulamentadas pela ANVISA e podem agir de formas diferentes em intensidade diferente. A escolha do princípio ativo tende a ser um dos primeiros passos no desenvolvimento de cosméticos.

3. Segurança e Regulamentação

O modo de uso de cosméticos permite uma grande interação entre as substâncias e o corpo humano. Elas podem ser absorvidas pela pele, entrar em contato com nossos olhos e com possíveis lesões  e podem ser até ingeridas conforme a aplicação do produto. Dado esse fato, no desenvolvimento de cosméticos deve-se levar em conta o fator de risco.

A utilização de um cosmético que não segue as regulamentações de segurança pode ter diversas consequências para o consumidor. Diversos estudos  demonstram que substâncias já utilizadas em produtos dessa natureza acarretaram em disrupção hormonal, alergias, e, entre outros, cancêr. Além disso, um processo de fabricação falho pode permitir que haja contaminação microbiológica do produto, ocasionando em infecções.  

Atualmente, a ANVISA regulamenta a segurança das substâncias a serem usadas. Sendo importante o conhecimento das diversas resoluções colegiadas para a segurança do processo. Sendo então imprescindível ter um Manual de Boas Práticas de Fabricação.

4. Conservantes e Estabilidade

Outro aspecto muito importante a se considerar no desenvolvimento de cosméticos é como esses irão se manter após o processo de fabricação. Um fato que muitos consumidores relevam, é que produtos dessa natureza acompanham uma data de validade. Sendo então responsabilidade do fabricante garantir a qualidade nesse prazo, uma vez seguidas as orientações de armazenamento. Para isso, são utilizados artifícios como os conservantes e os estabilizantes.

Cosméticos naturais ou com uma grande quantidade de água podem ser ótimos meios de proliferação de bactérias e fungos. Dessa forma muitas vezes se faz necessário um agente antimicrobiano ou algum conservante. Esses podem ser sintéticos ou naturais e variam em tempo de proteção do produto contra vetores infectantes. Substâncias dessa categoria são geralmente utilizados em concentração limitada por órgãos fiscalizadores.

Além disso, deve-se considerar que um produto deve passar por muitas etapas até chegar no local de comercialização e passará por condições diversas onde podem variar temperatura, agitação, como outros fatores. Nesse cenário, os estabilizantes podem assegurar, dentro de uma faixa, as características físicas do cosmético.

5. Aceitação Cultural

O mercado de cosméticos, em paralelo com o da moda, acompanha tendências. Existem diversas variantes que podem influenciar nas características finais de um produto. Seja a época do ano ou simplesmente a relação entre o atual e o antigo, o local, ou o estilo. Saber se situar dentro de tantas variáveis é imprescindível para que seu produto seja aceito pelo público-alvo.

Nos dias atuais, quando existem muitos produtos no mercado, qualidade é um compromisso e muitos buscam se diferenciar em diversos aspectos para que seu produto seja notado nas prateleiras. É necessário que se entenda como se pode ter a atenção do público sem distanciá-lo do seu dia-a-dia. Uma pequena mudança em sua textura, por exemplo, pode direcionar o sucesso do seu produto. Por isso, as consequências da inovação  devem ser estudadas com cuidado.

Um produto atualizado também é um fator muito importante. Ao adentrar nesse mercado percebemos que a oferta de produtos muda muito rapidamente e é necessário acompanhar essa mudança. Desse modo, os consumidores estarão sempre acompanhando a sua marca.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *