Tipo-de-aplicativo

4 passos para escolher o melhor tipo de aplicativo para o seu negócio

Entenda a diferença entre app híbrido ou nativo e escolha o melhor tipo de aplicativo para o seu negócio.

Atualmente, contratar um serviço para elaborar um aplicativo é custoso, mas o tipo de desenvolvimento definido influencia muito no preço final do projeto. Sendo assim, conhecer e compreender bem as diferenças pode te ajudar a escolher o tipo de aplicativo ideal para contratar de acordo com o momento atual de sua empresa ou negócio.

Aplicativos híbridos e nativos: o que são?

Vamos começar entendendo o que significa um aplicativo híbrido ou nativo e quais as principais disparidades técnicas que existem entre eles.

Os aplicativos nativos, como o próprio nome já diz, são aqueles desenvolvidos para uma plataforma específica, como IOS em Swift ou Objective-C, Android em Java, Windows Phone em C#; ou seja, para plataformas que possuem particularidades e têm uma linguagem de origem intrínseca. Assim, o aplicativo poderá utilizar todos os seus recursos, como GPS, notificações e outros, além de poder usá-lo sem conexão com a internet.

Um aplicativo híbrido, por sua vez, mescla características do app nativo e do app web, e assim como web apps eles podem ser desenvolvidos baseados no HTML5 e JavaScript. A grande vantagem é a possibilidade de utilizar o mesmo código para diferentes sistemas operacionais – através de ferramentas como Cordova, compilando para o formato nativo – reduzindo custos de operação e tempo de elaboração. Porém, o desempenho do aplicativo em si não será tão bom, pois não terá sido feito na linguagem “ideal” para o dispositivo em questão. Apesar de os recursos poderem ser utilizados, não serão tão eficientes quanto no aplicativo nativo.

Para concluir essa parte e fixarmos bem a diferença, podemos fazer uma analogia a uma situação normal do nosso dia a dia. Por exemplo, se quero ir à praia, posso ir de carro, ouvindo música, no ar condicionado e sem me preocupar se irá chover ou não. Essa é a situação com o aplicativo nativo. Por outro lado, indo de bicicleta é possível fugir do trânsito e chegar muito mais rápido, mas com algumas limitações – assim como o desenvolvimento de um aplicativo híbrido.

E aí? Como você quer chegar? Rápido e gastando pouco, mas talvez amassado ao alcançar seu destino? Ou mais demorado, gastando um pouco mais e chegando de forma perfeita?

Adeque o tipo de aplicativo escolhido à realidade do seu negócio

Agora que já sabe as diferença técnicas entre os desenvolvimentos possíveis, vamos entender como escolher o melhor tipo de aplicativo levando em consideração sua empresa, comércio, ou qualquer outro tipo de negócio que possua. Dessa forma, podemos nos fazer algumas perguntas e seguir alguns passos que irão nos ajudar a definir o que nos atenderia melhor:

1º Passo: Em quanto tempo você quer seu aplicativo pronto?

Se você quer algo rápido, então o híbrido é a melhor opção. Será mais fácil encontrar desenvolvedores disponíveis e a implementação será feita em menos tempo também. O desenvolvimento do nativo leva mais tempo, pois a programação é bem mais complexa.

2º Passo: Você possui um desenvolvedor para cada sistema operacional?

Se sim, o nativo é uma boa opção. Caso não seja o caso, o híbrido é melhor opção, pois poderá gerar versão para os dois ambientes com a mesma base de códigos.

3º Passo: Seu aplicativo é uma forma de teste para sua empresa?

Escolha um híbrido em um primeiro momento, pois será menos custoso e mais rápido. Se o projeto der certo e o crescimento já puder ser observado, então valerá a pena investir mais em um desenvolvimento de nativo, já que este terá um desempenho e qualidade melhor.

4º Passo: Que experiência você quer que seu usuário tenha?

Se estiver pensando que o seu usuário deve ter a melhor experiência possível ao utilizar seu aplicativo, associando a imagem do seu negócio a este desempenho, a melhor escolha é o tipo de aplicativo nativo. Como já foi dito, sua performance é superior e a interface é 100% natural. Há uma resposta mais rápida ao “navegar” pelo aplicativo e você consegue perceber uma fluidez que o híbrido não possui.

Essas são algumas informações para entendermos e decidirmos que tecnologia escolher. Observamos que além das definições técnicas, devemos levar em consideração a conjuntura momentânea da empresa. Mas depois de desenvolvido, você ainda precisará saber como obter os melhores resultados a partir do seu aplicativo. Para isso, leia nosso outro artigo sobre “Como desenvolver um aplicativo de sucesso“.

Para resumir e simplificar tudo que vimos até aqui, segue abaixo uma tabela com as diferenças e recomendações sobre cada tipo de aplicativo abordado:

tipo-de-aplicativo

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre projetos de aplicativo? Entre em contato conosco e continue acompanhando o Blog da Engenharia!

João Marcelo Bejarano

Graduando em Engenharia Elétrica, atualmente trabalha na Fluxo Consultoria como Coordenador de Projetos da Área de Computação e Tecnologia.

This Post Has One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *