Experiência Do Usuário

Experiência do Usuário: como atrair a atenção do público

Você já parou pra pensar se software que você desenvolve realmente prende o usuário? Ou se a planilha que você e os seus funcionários usam no seu estabelecimento é realmente a ferramenta mais adequada, além de rápida e eficiente? Em geral sites, aplicativos, artigos e programas são criados sem levar em conta o fator mais importante: você escreve para o seu usuário. Se este não se interessar, o seu aplicativo vai ser apenas mais um dentre milhares. Mas como podemos garantir que tudo isso que desenvolvemos consiga atingir o seu propósito e atraia cada vez mais público? A resposta é a Experiência do Usuário.

Essa expressão, normalmente identificada como UX (User Experience), representa a área que aborda a experiência que o usuário tem ao entrar em um site ou usar um aplicativo. A usabilidade, a interface, as opções fornecidas são detalhes que, dependendo de como são desenvolvidos, determinam se o usuário vai ou não se interessar pelo conteúdo.

Dessa forma, o estudo da UX é de extrema importância para atrair a atenção do seu público já que é algo que age no inconsciente. E, para que essa melhora seja possível, é muito importante que se tenha sempre em mente os próximos tópicos que serão abordados.

1. Os 6 pilares da Experiência do Usuário

Para começar, é importante destacarmos os pilares que compõem uma boa experiência do usuário. Cada um deles é fortemente baseado em como ele se comporta, portanto nos levam a estudar esse nosso público alvo e a adaptar nossa página de acordo com ele.

  • Estética:

A estética e a aparência muitas vezes são deixadas de lado no desenvolvimento de um site, enquanto se foca apenas no conteúdo. Mas quem gosta de ler um texto cru, sem cores ou imagens? Mesmo que ele tenha o melhor conteúdo possível, a maioria do público vai sair e procurar outra página.

Uma regra básica para qualquer desenvolvimento web é: a primeira impressão é sempre o que determina se o usuário vai comprar o seu produto. É ela que dita o tom da sua comunicação com o usuário e, portanto, isso deve ser explorado das melhores formas. Sempre tenha em mente tópicos como a psicologia das cores ou uso de imagens e gráficos.

Psicologia das cores e sua influência na Experiência do Usuário

Psicologia das cores e sua influência na Experiência do Usuário

E principalmente, seja original.

Mesmo que na maioria das vezes isso ocorra inconscientemente, a aparência e a interface é a porta de entrada do seu site, então não tenha medo de gastar um tempo a mais nela.

É o cliente quem manda! Ele sempre deve estar no centro do desenvolvimento.

  • Usabilidade:

Apesar do visual ser importante, é necessário que, além de esteticamente atraente, ele seja funcional para o usuário.

Se o usuário não consegue navegar pelo seu aplicativo, do que adianta todo aquele conteúdo? Uma interface simples e interativa, mas também funcional e bonita, sempre chama a atenção do usuário e melhora a sua experiência com o programa. Portanto, atente-se aos pequenos detalhes que podem melhorar essa experiência, tais como:

  1. Escrita clara e formatação simples
  2. Títulos simples e objetivos
  3. Aba/menu de navegação
  4. Conteúdo objetivo ao tema
  5. Linkagem para outros tópicos
  6. Saídas simples
  7. Estrutura de botões e cards (interativo)
  • Arquitetura de informação (AI):

Essa etapa caracteriza a organização dos conteúdos do site na tela. Quais conteúdos receberão mais destaque? Quais tópicos vão aparecer de forma mais clara para induzir o usuário a visitá-lo?

Como já se esperava, a usabilidade do sistema está intimamente ligada à AI do mesmo. Sem uma boa organização e apresentação do conteúdo, a usabilidade e, portanto, a experiência do usuário estarão comprometidos.

Dessa forma, sempre se atente em deixar à mostra as coisas mais importantes e que podem facilitar a navegação do usuário pelo programa. Algumas abas de navegação no topo da tela ou um menu expansível no canto são soluções bem simples, visualmente agradáveis e, principalmente, fazem esse trabalho de organização muito bem.

Abas de navegação

Abas de navegação

Menu expansivo

Menu expansivo

  • Fluxos de Interação:

Os fluxos de interação são os caminhos que o usuário irá percorrer no site. E deve ser você quem vai estabelecê-los.

Você deve conduzir o usuário pelo site, mas sem deixá-lo perceber isso. Dessa forma, é muito mais fácil de vender o seu produto ou de manter o leitor por mais tempo lendo outros artigos de interesse. Com um bom fluxo de interação, o usuário permanece por mais tempo na página enquanto é conduzido até o que você quer vender, portanto, sempre se atente a esse detalhe e busque explorá-lo ao máximo.

  • Conteúdo:

O conteúdo abordado é o coração do seu texto, mas não se deixe enganar. Como dito acima, não adianta ter o melhor conteúdo possível se você não proporciona uma experiência que vai fazer o usuário continuar a usar o seu aplicativo.

Ainda assim, também não adianta ter todos os quatro pontos acima se você não dá ao usuário que ele está buscando. Procure sempre melhorar o conteúdo que está sendo abordado. Pesquise, atualize e estude métodos de escrita, utilize imagens, tópicos, subtítulos, exemplos, depoimentos, pesquisas, links externos, frases de outros artigos/jornais, enfim, tente inovar ao máximo a experiência do usuário, pois é isso o que o fideliza.

  • Empatia:

Para finalizar, é a empatia o que vai te permitir conseguir desenvolver com qualidade todos os tópicos acima.

Coloque-se no lugar do usuário. Visite outros sites, baixe outros aplicativos, leia outros artigos. Deixe-se entrar no papel do seu público e observe o que não é do seu agrado e como você pode melhorar aquilo. Sempre se basear na sua própria experiência como usuário para melhorar a experiência dos que você quer atingir é uma das dicas mais valiosas na hora de desenvolver um projeto.

Se não reservarmos um tempo para entendermos os usuários, suas personas e suas experiências, nunca conseguiremos atingi-los da forma como queremos.  

2. O Desenvolvimento Front-end e a Experiência do Usuário

Improving your ability to innovate means bringing two core functions that actually create innovations close together: User Experience and Front-End Development. (UXmatters)

(Aumentar sua habilidade de inovar significa aproximar duas funções principais que realmente criam inovações: Experiência do Usuário e Desenvolvimento Front-End.)

O texto acima mostra a importância de se ter conhecimento sobre ambos Desenvolvimento Front-End e UX em conjunto, pois elas se relacionam muito intimamente. Muitos desenvolvedores não se aproximam de tópicos de design, assim como muitos designers não se aproximam de tópicos de desenvolvimento front ou back-end, por não acharem que tenham relação. No final, isso atrapalha muito o trabalho e gera inúmeros erros na adaptação do site, que, ao invés de fornecer a melhor experiência possível para o usuário, apenas o afasta do seu conteúdo.

A realidade é que esses profissionais só têm a se desenvolver ainda mais ao estudarem essa outra área. Saber como a página funciona dentro do código e como melhorar a aparência do site é considerado um grande diferencial no ramo de desenvolvimento web, o que só confirma a sua importância.

Linguagens como HTML ou CSS são bem simples de se aprender e são tópicos de extrema relevância, pois permite que designers conheçam o código em que estão trabalhando. Além desses dois, também temos o JavaScript que, apesar de poder ser usado tanto em front quanto em back-end, seu principal foco de uso é no desenvolvimento front-end de sistemas. Além dessas linguagens, também existem outras que são usadas para o desenvolvimento do back-end, tais como PHP, Python, Ruby, C#, entre outros.

Código HTML

(código HTML)

3. TESTE! TESTE MUITO!

Essa é a maior dica de todas.

Para finalizar, sempre teste o seu programa. Peça ajuda para amigos, familiares, namorada, namorado, toda e qualquer pessoa que possa usar o seu programa e dar feedbacks sobre o que você desenvolveu. Dessa forma, a experiência do seu usuário será atualizada com base na própria experiência prévia de um outro usuário, o que facilita o processo de melhoria e aumenta cada vez mais a qualidade daquele produto.

E tenha uma coisa em mente: mesmo depois de finalizado, o seu site não estará pronto ainda (ele nunca estará pronto). Sempre modifique-o, procure melhorias, bugs, remodele o design. E não se esqueça de sempre documentar as modificações feitas, para que você possa se situar e possa comparar os resultados das atualizações.

Para poder realizar as atualizações e documentá-las, você pode usar o Google Analytics, enquanto que para comparações e análises, pode-se usar o HotJar ou o CrazyEgg, que mapeiam a tela por meio de um “sensor de calor” quais áreas do site são mais acessadas.

Mapa de calor do Hotjar

(acima, uma imagem de como o HotJar atua, marcando as partes mais clicadas pelo público)

Por meio dessas ferramentas, você conseguirá ter uma ideia da Experiência do Usuário, o que ele procura e o que mais chama atenção dele. Leve tais conhecimentos para a vida, pois são informações muito importantes para o sucesso do seu site.

E nunca se esqueça: sempre ponha o seu público como foco principal. Estude-o da melhor forma possível e trabalhe ao máximo para deixar tudo com a cara dele.

A experiência do usuário é a sua linha de frente, então aproveite-se dela para conseguir resultados incríveis.

Agora que já sabe como atrair a atenção do seu usuário, por que não aprender mais sobre como monetizar um aplicativo? É a sua oportunidade de colocar tudo o que aprendeu sobre Experiência do Usuário na prática!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *