Monetizar Um Aplicativo

Aprenda 6 Formas de Monetizar um Aplicativo

Como monetizar um aplicativo?

Então você teve uma ideia inovadora de aplicativo, que irá atrair um enorme fluxo de usuários, que todos irão amar e que irá ser referência no seu segmento. Mas logo em seguida vem a grande questão: “O que fazer para tornar meu aplicativo rentável?” ou “Como monetizar um aplicativo?”.

O mercado de aplicativos mobile vem crescendo exponencialmente. Atrair o usuário, portanto, é cada vez mais complicado, principalmente quando muito desses aplicativos são gratuitos. Mas será que vale a pena fazer um aplicativo gratuito? E como é possível ganhar dinheiro através de um aplicativo gratuito? Nós separamos para você as principais formas de monetizar um aplicativo.

1 – Aplicativo Pago

A alternativa mais tradicional de monetizar um aplicativo é cobrar para que as pessoas usem-o. Essa forma de monetização é muito utilizada em aplicativos que são mais complexos e não possuem muita concorrência. Seja pela dificuldade de serem mantidos, necessitando de valorização, ou por geralmente serem focados em nichos, os clientes se habilitam a pagar pelo aplicativo. Muitos jogos são pagos exatamente pela questão da dificuldade de serem produzidos. O principal problema que o aplicativo pago enfrenta é a diminuição drástica dos downloads do app. Outro obstáculo de arrecadação é a cota de 30% do valor do aplicativo que as lojas virtuais costumam reter.

2 – Gratuito, porém com anúncios

1

O Aplicativo “Adventure Duck” é gratuito, porém apresenta anúncios

 

A alternativa mais usada em aplicativos para evitar a cobrança pelos aplicativos. Mantendo um aplicativo de forma gratuita, você consegue aumentar a base de usuários e monetizar um aplicativo. Esse é um fator importantíssimo na hora de considerar usar anúncios.

Com uma grande base de usuários que acessam o aplicativo diariamente, é possível ceder o espaço do seu aplicativo para publicidade direcionada, de acordo com o perfil dos usuários. Essa ação gera uma renda baseada na quantidade de pessoas que acessam seu app. Você pode utilizar alguma plataforma especializada em publicidade em apps ou fazer de maneira independente.

As plataformas mais utilizadas para este fim são o Google Admob e a Rede de públicos do Facebook.

Google Admob

O Google Admob é uma ferramenta do Google voltada exatamente para criar e distribuir anúncios de aplicativos em uma rede de aplicativos. Dessa forma pode ser usado não só para monetizar seu aplicativo mas também para divulgá-lo em outros e conseguir aumentar seu público.  

Rede de públicos do Facebook

A Rede de públicos do Facebook é uma ferramenta do Facebook que funciona de maneira similar ao Google Admob, porém os anúncios que aparecerão no celular do usuário serão os mesmos que aparecerão no Facebook.

3 – Freemium

Anúncios em aplicativos geralmente afetam um pouco a experiência de uso, onde alguns usuários se sentem incomodados com a publicidade, de forma que podem até desistir de utilizar o aplicativo por tal motivo.

Quando se fala do público, muitas vezes encontramos pessoas que não gostam de publicidade e que desistiriam de utilizar um aplicativo por esse motivo. Dessa forma, uma tática utilizada para evitar a evasão de usuários do aplicativo, ou até como alternativa mais agradável, é oferecer versões pagas, porém sem anúncios. Assim, muito dos usuários que não gostam da poluição visual causada pelos anúncios veem como uma alternativa mais agradável a compra desses aplicativos.

4 – Compras no Aplicativo

Muitas empresas optam por monetizar seus aplicativos de forma diferente, através de compras no aplicativo. Muito comum em jogos e aplicativos de vendas, o aplicativo dá chance ao usuário de obter vantagens caso ele faça determinada compra, algo como um boost que fará ele obter melhores resultados em um jogo ou que fará o anúncio em um aplicativo de compras aparecer para mais pessoas. Exemplo: Candy Crush, Tinder e OLX

5 – Assinatura

Semelhante ao modelo freemium, o modelo de assinaturas se destaca por disponibilizar o aplicativo de forma gratuita, porém com algumas funções indisponíveis. Assim, o aplicativo cobra uma assinatura para que o usuário tenha acesso às funções indisponíveis na versão gratuita. Aplicativos de serviços de streaming como Spotify e  Deezer utilizam bastante essa forma de monetização.

Em alguns casos, como o serviço de streaming Netflix, utiliza-se o modelo de assinatura sem a opção de utilização totalmente gratuita mas podendo, por um breve período, testar o aplicativo. Essa estratégia tem a intenção de cativar o usuário e, por fim, convertê-lo.

6 – Venda de Serviços

monetizar um aplicativo uber ifood

Muitos aplicativos, como Uber e IFood, apresentam lucro através da venda de serviços

 

Muitas vezes há aplicativos que oferecem serviços de forma gratuita e arrecadam a partir de uma taxa em cima dos serviços que são vendidos dentro do aplicativo. Cobrando assim pela tarefa de mediar o serviço e de divulgar o serviço em um ambiente de serviços iguais. Os aplicativos Uber, IFood e 99taxis são nesse estilo.

Essas são as principais formas de monetização de aplicativo, mas nada impede que seja feito um modelo de monetização misto. Este, porém, deve ser bem selecionado para não sobrecarregar o consumidor. Dessa forma, é importante pensar com calma como cada modelo de monetização se aplicaria, para evitar um aplicativo fragmentando que necessita de muitos pagamentos.

E você? Está pronto para fazer seu artigo e monetizá-lo? Nós podemos te ajudar a entrar nesse mercado! Inscreva-se em nossa Newsletter e acompanhe nosso material sobre desenvolvimento de aplicativos.

Renan Neri

Graduando em Engenharia de Computação e Informação, atualmente trabalha na Fluxo Consultoria como Gerente de Projetos da Área de Computação, Controle e Eletrônica. Já executou projetos de Sistema Web.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *