skip to Main Content

7‌ ‌dicas‌ ‌importantes para ‌você‌ montar‌ ‌sua‌ ‌linha de produção‌ ‌

linha de produção

A linha de produção, também conhecida como linha de montagem, é considerada  uma forma de produção em série, tendo uma sequência de ações específicas e repetitivas, sendo realizada de forma contínua, na qual vários trabalhadores executam essas tarefas manualmente ou com ajuda de máquinas. 

A montagem em série foi inventada por Henry Ford, empresário estadunidense do setor automobilístico. Foi através dele que foi possível produzir, em massa, seu famoso carro Ford T. Esta linha de produção tem como objetivo produzir em etapas, de forma padronizada e com tempo determinado.

Para montarmos uma linha de produção, é necessário fazer um planejamento. O capital deve ser definido e os objetivos da empresa devem ser claros. Deve-se pensar em todos os processos a serem implementados para obtenção dos produtos e separá-los em etapas, como: envase, acabamento, embalagem, entre outros. 

Além disso, para otimizar a produção, é essencial investir em maquinário e equipamentos específicos para cada setor. Alguns itens são muito usados nas linhas de produção, como: esteiras e robôs. É recomendável instalar sistemas tecnológicos integrados que são úteis para saber como anda cada processo. Com esse monitoramento, será fácil identificar falhas e possíveis melhorias.

Como funciona o processo de desenvolvimento de um produto?

Antes de montarmos uma linha de produção, é importante ter definido com qual produto você irá trabalhar, para podermos fazer um planejamento de todo o processo neste sentido. Pois desenvolver um produto sem ter um planejamento pode acarretar em uma série de riscos para a empresa, investindo-se muito em algo que poderá não ter o retorno desejado. 

Pensando nisso, separamos algumas etapas para tornar o seu processo de desenvolvimento de produto mais eficiente e bem sucedido: 

1 – Descobrir a necessidade do cliente

O primeiro passo para planejar bem o desenvolvimento do seu produto é pensar na necessidade do cliente. Sendo assim, deve-se estudar o público alvo em que deseja alcançar, e é válido se fazer as seguintes perguntas: Quais são suas necessidades? O que facilitaria sua vida? Quais são seus hábitos, desejos e expectativas? 

Todas essas perguntas ajudarão você a identificar possíveis brechas para desenvolver seu produto. Não esqueça de se atentar às tendências do mercado, para identificar oportunidades de negócio e como ocorre a movimentação do público alvo.

2 – Pesquisa e avaliação

Depois de pensar com que produto você irá trabalhar, após identificar o público alvo, é importante certificar se ele é compatível com o posicionamento da empresa e se há viabilidade econômica para ela se materializar. 

É importante alinhar os profissionais que estarão envolvidos no projeto, o orçamento e os prazos para sua realização. Isso ajudará o processo a ser mais organizado e a reduzir desperdícios, seja de recursos ou de tempo.

3 – Testes e prototipação

Antes de começar a investir na fabricação do produto, é preciso testar um protótipo com o público para saber se a ideia funciona na prática. Atualmente, usa-se o conceito do Produto Mínimo Viável que é a concretização do projeto, mas de uma forma simples. Logo, antes de ela ser vendida, faz-se um protótipo ou alguma solução que possa ser testada com o público alvo.

4 – Desenvolvimento 

Nessa etapa, deve considerar os estudos e testes anteriores, para desenvolver um produto que agrade o público e que não gere problemas futuros, como estourar o orçamento, não dar o lucro desejado, ir de encontro à imagem da empresa, entre outros.

5 – Validação de mercado

Após o desenvolvimento do  produto, muitas empresas fazem um teste final antes de lançá-lo oficialmente. Dessa forma, algumas organizações usam estratégias para validar o produto no mercado, como, por exemplo, criação de equipes que trabalham com foco no público alvo, entre outras metodologias de pesquisa.

6 – Lançamento e marketing

É importante investir em estratégias de divulgação e marketing para atrair o interesse do público para a mercadoria e consequentemente, obter vendas. Uma das maneiras em que se pode fazer isso é através das ações estratégicas, voltadas para os interesses e perfis dos clientes em potencial e destacando as soluções para suas respectivas necessidades.

O que você precisa ter para montar sua produção?

Depois de termos escolhido o ramo que iremos trabalhar e o que queremos produzir, chegou a hora de descobrir o que é preciso ter para montar sua linha de produção. Para isso, separamos 7 dicas que irão te ajudar neste processo. 

1 – Elimine o desperdício

Apesar de ser um objetivo muitas vezes difícil de ser alcançado, é importante buscar formas de reduzir todo tipo de excesso que não tem valor na linha de produção. Ou seja, minimizar o que sobra dos insumos da produção que não podem ser reaproveitados, desenvolver métodos para eliminar a perda de tempo dos trabalhadores e a produção em excesso. 

Outro ponto importante que precisa ser reduzido são os erros que fazem com que o produto não seja aprovado nos padrões de qualidade e tenha que ser descartado ao fim da linha de produção.

Exemplos de ferramentas para eliminar desperdício: fluxo contínuo, metodologia lean, gráfico de balanceamento de operadores (GBO), mapa de fluxo de valor, padronização de trabalho, metodologia 5S, heijunka, just in time, jidoka, poka yoke e gemba walk.

kanban para a linha de produção
Imagem 1: Metodologia Lean

2 – Busque a melhoria contínua

A melhoria contínua, ou kaizen, é um dos valores mais importantes do lean manufacturing, que é a metodologia de produtividade adotada pelas indústrias mais bem sucedidas do mundo.

Banner2

Buscar a melhoria contínua significa tentar encontrar maneiras melhores de conduzir a linha de produção, tornando um processo mais rápido e seguro, o que gerará resultados melhores para o negócio.

Para ser implementada de forma correta, a melhoria contínua depende da estruturação de processos e padrões, da medição de resultados e da autonomia, para que a equipe possua hipóteses de aprimoramento das atividades.

Exemplos de ferramentas de melhoria contínua: business process management (BPM), diagrama de processos, kaizen, lei de pareto, diagrama de ishikawa e lean manufacturing.

kaizen para a linha de produção
Imagem 2: Kaizen

3 – Conte com fornecedores confiáveis

Uma das situações mais importantes em uma linha de produção é a qualidade das matérias primas utilizadas na fabricação do produto, ela é decisiva para todas as etapas do processo produtivo e, especialmente, para os resultados finais do negócio.

Se os insumos utilizados no processo são de baixa qualidade, logo, o produto final também será, independente se o trabalho for realizado com excelência em todas as etapas da operação.

Sendo assim, é de extrema importância contar com fornecedores confiáveis que entregam insumos de alta qualidade, cumprindo todos os prazos combinados.

4 – Controle a capacidade produtiva pela demanda

A superprodução, que acarretou a crise de 1929, continua sendo um erro recorrente que afeta muitas indústrias. Se a linha de produção está com uma capacidade superior ao que o mercado é capaz de absorver, as consequências serão a redução de preços e o acúmulo de estoques. Por isso, é viável adotar a perspectiva “pull” do toyotismo.

Em um modelo tradicional, a produtividade é levada pelas etapas da linha de produção até chegar ao consumidor final. Contudo, com o sistema “pull”, a ideia é que a demanda irá “puxar” os processos da linha produtiva em ordem reversa, reduzindo excessos e potencializando os resultados.

O sistema de “pull” minimiza desperdícios e faz com que a fiscalização da produtividade seja bem mais acurada, o que significa uma minimização dos gastos com estoques.

Exemplos de ferramentas para controlar sua produção: kanban, planejamento avançado da produção (APS), planejamento de vendas e operações (S&OP), plano mestre de produção (MPS), planejamento dos recursos de manufatura (MRP II) e planejamento de recursos da empresa (ERP). 

med7e6qwEGrPBfaHkSlLDn64BmIlqg3j8z rFy7DYq1IRj8E0NU3r2PZRbkrtfXSkXhY2aOtpzQgjO yH z9PGjFXD3SLIffC GkBJdfT0Byy0WdBIXP 83Xq4urr5dZGWjCnYV
Imagem 3: Kanban

5 – Atualize a tecnologia da fábrica

Atualizar o maquinário, aderir a um bom software de gestão integrada (ERP) e adotar novos processos com base em tecnologias inovadoras são formas inteligentes de aprimorar a linha de produção e maximizar os resultados na fábrica.

Dessa forma, não deixe sua empresa estagnar no tempo, garanta uma evolução tecnológica constante na sua empresa. Quem não se atualizar tecnologicamente na indústria se torna ultrapassado pela concorrência, e retomar depois é um trabalho árduo.

Imagem 4: ERP

6 – Mire a excelência em cada etapa

A excelência é algo que deve ser buscado em cada etapa da linha de produção. Para isso, é importante que a equipe tenha consciência dos parâmetros de qualidade que serão decisivos para o time que assumirá a próxima fase da produção e se dedique para alcançá-los sempre. 

Dessa maneira, o trabalho da linha de produção acaba sendo facilitado, pois não é preciso corrigir erros da etapa anterior, o que significa mais agilidade e resultados melhores. Sendo assim, é importante desenvolver uma cultura organizacional de aprimoramento contínuo e definir padrões de qualidade claros que possam ser medidos com precisão pelos times.

7 – Estabeleça metas e acompanhe resultados

Por último, é preciso estabelecer metas coletivas e individuais para guiar o trabalho realizado na linha de produção, elas são um elemento importante para nortear a direção correta que a gestão projetou para a empresa.

É importante definir metas explicadas com clareza e mensurada de forma quantitativa, atrelando aos indicadores chaves de performance e demais métricas acompanhadas.

Além disso, definir as metas é necessário para realizar o acompanhamento constante das métricas relacionadas a elas.

Como foi visto, a linha de produção é fundamental para o aumento da produtividade na sua empresa, e também, para promover a melhoria contínua. Além disso, ela concede vantagens como um menor deslocamento no chão de fábrica, menor investimento com treinamento e maior especialização em determinada função. 

Por isso, na Fluxo Consultoria, estamos sempre estudando e procurando nos desenvolver com a ajuda de professores e de orientadores para garantir o melhor para os nossos clientes!

Ficou com alguma dúvida? Precisa de ajuda para montar sua produção? Entre em contato conosco! Será um prazer ajudá-lo!

Vigilância Sanitária: entenda a importância dela para o seu negócio!
O real significado do sistema de gestão para pequenas empresas

Outros assuntos:

This Post Has One Comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CNPJ: 72.387.608/0001-21

A Fluxo Consultoria é uma empresa sem fins lucrativos, visando fomentar o empreendedorismo no Brasil através de projetos de engenharia de alta qualidade e custo abaixo do mercado. Todo o valor ganho é revertido para a formação profissional dos nossos membros e alunos da UFRJ.