Skip to content

Fluxo Consultoria – Consultoria em Engenharia da UFRJ

Alimentos Congelados: conheça 5 dicas para mantê-los conservados por mais tempo

Alimentos Congelados: conheça 5 dicas para mantê-los conservados por mais tempo

Pessoa conservando os alimentos congelados

O desperdício de alimentos é um problema mundial. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – FAO, cerca de 1,3 bilhões de toneladas de comida vão para o lixo todos os anos e no Brasil, a perda é de 26 milhões de toneladas de alimentos. 

Uma alternativa para minimizar este problema é o congelamento de alimentos.

Os alimentos congelados são uma ótima opção para consumir comida caseira diariamente, fugir do fast food e também economizar dinheiro com alimentação fora de casa. Além de consumir os alimentos de forma mais consciente.

O congelamento traz praticidade para o dia a dia, uma “mão na roda” para correria da rotina de muitos brasileiros. 

No entanto, não basta cozinhar e congelar, é necessário se planejar. 

A prática serve também para evitar desperdícios, seja com uma refeição que sobrou, quanto para planejar a alimentação da semana, por exemplo.

Muitas pessoas têm medo que o alimento perca o sabor ao ser congelado, mas isso só ocorrerá se os processos de congelamento e descongelamento forem feitos de maneira inadequada.

Para isso, é necessário que os  alimentos estejam em boas condições para que as técnicas recomendadas sejam eficientes. Dessa forma, é possível manter o sabor e valor nutricional das receitas. Basta tomar alguns cuidados no processo de congelamento.

Nesse post, iremos explicar sobre o congelamento de alimentos e mais 5 dicas para os alimentos durarem por mais tempo. Vem conosco!

Por que congelar?

O congelamento de alimentos consiste em levá-los a uma temperatura baixa capaz de retardar o crescimento das bactérias e deterioração dos alimentos. 

Trata-se de um processo que evita a putrefação dos alimentos e o desenvolvimento dos microrganismos, conservando todos os elementos nutritivos

O congelamento é um eficiente sistema de conservação de alimentos, uma vez congelado, que é a retirada de todo o calor, torna o alimento rígido. 

Para alcançar as condições ideais de temperatura, o freezer/congelador deve operar a -18 °C, no mínimo.

Vale salientar que a temperatura não impede que os alimentos estraguem. O congelamento impacta no desenvolvimento de microrganismos e no processo de deterioração que são drasticamente retardados, conservando não somente o alimento, mas também mantendo-os frescos e nutritivos. 

Como realizar o congelamento dos alimentos?

Como já foi citado, o alimento entra em congelamento quando é levado a uma temperatura de 18 °C abaixo de zero. 

Todo alimento a ser congelado deve ser fresco, limpo e de boa qualidade para que o congelamento seja eficaz. 

O processo deve ser realizado logo após o preparo dos produtos, pois para a manutenção de suas propriedades e nutrientes, os alimentos devem esfriar rapidamente após o cozimento. 

Para o processo, os alimentos devem ser levemente temperados e cozidos pelo tempo mínimo necessário. Com o congelamento, os temperos tendem a acentuar e também a amaciar os alimentos.

Um ponto importante que vale ressaltar é que para evitar a perda de umidade dos alimentos, é essencial que estes sejam embalados com material à prova d’água.

Além desse ponto, devemos também deixar ciente que o congelamento não irá piorar nem melhorar o alimento. Trata-se apenas de mais um processo de conservação, assim como a desidratação, a salga, a apertização (enlatamento), entre outros.

Existem dois processos de congelamento. São eles:

  • Supercongelados –  resfriamento ultra-rápido a –40 °C;
  • Congelamento – resfriamento mais lento a –18 °C.

Qualquer um desses procedimentos feitos corretamente, não trarão perda de nutrientes, pois os alimentos terão preservado as suas características físicas. 

Atenção: Após o congelamento, os alimentos que forem descongelados não podem ser congelados novamente.

5 dicas para manter os alimentos conservados por mais tempo

#01. Certifique-se de que os alimentos estejam em boa qualidade

Antes de congelar alimentos, avalie se eles estão em boas condições e sem mudanças de odor e aparência que identifique deterioração do produto. 

Na maioria das vezes, a comida já estragou e nem percebemos. 

Banner2

O congelamento retarda o avanço dos micro-organismos, mas também encobre a deterioração que já existe facilitando a disseminação de infecções e intoxicações.

Fique atento aos sinais e saiba se é hora de mandar o alimento para o lixo ou não. Observe os seguintes fatores:

  • Quanto à aparência:
    • coloração alterada;
    • ranço ou líquido estranho;
    • corpos estranhos como insetos ou dejetos de insetos, ranhuras estranhas e oxidação;
    • mofo – pontos esverdeados ou coberturas brancas.
  • Quanto ao cheiro:

Cada alimento tem seu aroma próprio e é essencial conhecê-lo. Se, ao cheirar, você sentir odor diferente do habitual e/ou uma reação ruim ao organismo, é porque já passou do ponto.

  • Quanto ao sabor:

Se a observação da aparência e do aroma não tiver detectado nada, certamente o sabor estará alterado e irá identificar que o alimento já passou do ponto. Portanto, fique atento!

#02. Escolhe bem o recipiente

Para manter a qualidade e conservação dos alimentos, é essencial que eles estejam armazenados em um ambiente sem ou com quase nenhum ar. Evite materiais porosos e que absorvam a umidade. 

O ideal é utilizar recipientes de vidro ou plástico que possam ser devidamente vedados, como por exemplo, os potes herméticos. Não use embalagens de isopor ou papelão.

As embalagens ideais para congelados devem:

  • Ser próprias para ir ao microondas a fim de facilitar o descongelamento;
  • não permitir que o alimento entre em contato com o ar frio e seco do freezer;
  • evitar a passagem de aroma;
  • não rasgar com facilidade;
  • resistir à gordura;
  • aderir ao alimento antes do congelamento;
  • se soltar com facilidade após congelado.

#03. Divida os alimentos em pequenas quantidades

Verifique a quantidade adequada para cada refeição e divida-as em pequenas porções antes de congelar.

Assim, o processo de descongelamento será mais rápido, prático e ainda evitará desperdícios. 

Lembre-se de que os alimentos que já foram descongelados não podem voltar para o freezer.

#04. Etiquete os alimentos com o nome, data do congelamento e prazo de validade

O congelamento não bloqueia totalmente a deterioração, apenas desacelera a ação dos micro-organismos, portanto eles podem estragar. Ou seja, tem prazo de validade mesmo com o congelamento. 

De acordo com a organização internacional Food Safety, especializada em segurança alimentar, cada alimento congelado tem um tempo médio de conservação.

Confira a tabela abaixo: 

[post]
Tabela com o tempo ideal para os alimentos congelados

#05. Informe-se sobre os locais de descongelamento adequados para cada alimento

De nada adianta seguir todas essas dicas para congelar os alimentos se você tem o hábito de descongelar a comida fora da geladeira: em cima da pia ou da mesa, por exemplo.

Dependendo dos ingredientes ou alimentos envolvidos, essa prática acelera a proliferação de microorganismos, além do risco de intoxicação dos alimentos.

Segue algumas dicas:

  • Descongelamento em temperatura ambiente – ideal para tortas, bolos, doces e frutas, que precisam descongelar ainda embalados;
  • Descongelamento no refrigerador – ideal para alimentos cujo descongelamento precisa ser lento, como carnes cruas e queijos;
  • Descongelamento no forno ou fogão – indicado para todos os pratos prontos, pré-cozidos ou branqueados – escaldado, como é o caso dos legumes.

Quais alimentos não devem ser congelados?

Embora seja um processo de conservação, nem todos os alimentos podem ser congelados: alimentos que tendem a perder propriedades de sabor, textura e valor nutritivo.

Isso ocorre devido os ingredientes presentes na composição se separam e congelam em tempos diferentes.

Veja alguns dos alimentos que não podem ir ao freezer ou congelador:

  • Maionese;
  • salada de folhas cruas;
  • gelatinas ou alimentos à base de gelatina;
  • claras em neve ou cozidas;
  • batatas cozidas;
  • ovos cozidos;
  • pudins cremosos;
  • creme de leite;
  • cremes em geral;
  • curau, entre outros.

Dica Bônus!

Agora uma dica bônus para aqueles dias em que é necessário acelerar o descongelamento.

Se você não teve tempo de se programar, veja esse método rápido de descongelamento:

  • Sem tirá-lo do recipiente, coloque o alimento dentro de uma tigela cheia de água da torneira em temperatura ambiente. 
  • Troque a água a cada 30 minutos para evitar que ela fique muito gelada. 
  • Não coloque água quente, pois isso pode aquecer a superfície do alimento, iniciando a cocção e favorecendo a proliferação de bactérias.

Conclusão

Como pode-se perceber, existem técnicas desenvolvidas de conservação até mesmo no uso doméstico, que podem depois até ganhar estratégias de larga escala. O congelamento é um desses métodos de conservação de alimentos. 

Com o congelamento, já sabe como pode facilitar a sua vida e deixá-la ainda mais saudável.

Está esperando o que para planejar e botar em prática o congelamento de alimentos?!

Siga as dicas e comece agora! Facilite sua vida e sua rotina. 

Banners4

Marketing Fluxo

Somos um grupo de graduandos da UFRJ que decidiu ir além das salas de aula da mais tradicional Escola de Engenharia do Brasil. Em busca de vivência empresarial e experiência em gestão, queremos nos preparar o quanto antes para o mercado de trabalho. Para isso, realizamos projetos de engenharia com a supervisão dos professores para resolver os problemas de nossos clientes.

Escreva um Comentário

O que é Fluxo?

Somos uma empresa júnior, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, de acordo com a Lei 13.267/2016, e realizamos projetos de consultoria em engenharia. 

Posts Recentes

Siga-nos

Se inscreva em nossa Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades e conteúdos em primeira mão 

Há mais de 30 anos, a Fluxo realiza projetos de engenharia, com infraestrutura e tecnologia da UFRJ. Prestamos serviços para pessoas físicas, pequenos empreendedores e grandes empresas do mercado. Por isso, temos ampla experiência em consultoria e oferecemos soluções personalizadas para você.