skip to Main Content

Controle de Qualidade de Alimentos: 6 passos que sua empresa deve seguir

Fiscal de controle de qualidade de alimentos

O controle de qualidade de alimentos é um método eficiente que as indústrias alimentícias utilizam para avaliar a qualidade do produto ou serviço a fim de certificar se estão conforme as normas técnicas de saúde e segurança para, então, serem comercializados.  

Essas normas são determinadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que estabelece como os produtos devem ser manipulados, produzidos e armazenados de forma segura até chegar ao consumidor. 

Por isso, é importante implementar o controle de qualidade na sua empresa para garantir que os processos de cada etapa estejam de acordo com as especificações das leis brasileiras, bem como adquirir outros benefícios que esse método oferece. 

Para saber os 6 passos que sua empresa deve seguir para fazer um controle de qualidade de alimentos eficaz e conhecer os benefícios de implementar esse método, continue a leitura. 

Passo 1 – Padronize os procedimentos

O primeiro passo para se obter um controle de qualidade de alimentos é padronizar os procedimentos, desde elaborar um manual do que precisa ser feito e pode ser realizado independentemente da pessoa que esteja executando, até criar uma rotina que envolva todas as demandas da empresa, como recebimento da matéria-prima, produção, estoque e entrega ao cliente. 

Seguir esse passo é importante porque além de minimizar as possibilidades de erros, diminui o desperdício e otimiza o tempo de produção já que vai manter as etapas dos processos organizadas.  

O ISO 22 000 é um exemplo de padrão internacional de normas que asseguram a qualidade e segurança dos alimentos e que está relacionado a todas as empresas do ramo alimentar, seja para empresas que fornecem materiais destinados a embalagens, produtores de equipamentos ou fabricantes de ingredientes e aditivos.

Já outra norma que envolve todos os setores alimentícios, desde a produção primária até a distribuição do produto ou serviço, é a Safe Quality Food (SQF), que tem suas diretrizes segundo a Análise de Perigos Pontos Críticos de Controle e o Sistema de Gestão da Qualidade. Os alimentos com padronização SQF recebem o selo de segurança e qualidade aceito internacionalmente. 

Passo 2 – Estabeleça uma gestão qualificada    

Este passo faz toda a diferença para se ter um controle de qualidade de alimentos, pois estabelecer uma gestão qualificada vai aumentar o nível de produção da qualidade dos produtos.

Uma gestão de qualidade vai ser responsável por desenvolver estratégias a fim de se ter um planejamento prático de como verificar cada etapa de produção, certificando-se da qualidade e segurança conforme as normas e padrões. 

Para isso, é necessário que todos os colaboradores estejam aptos e familiarizados com os métodos para unir o planejamento e integrar com as ferramentas tecnológicas, as quais veremos adiante e que irão auxiliar bastante nos processos operacionais.   

Passo 3 – Defina os indicadores de desempenho 

Os indicadores de desempenho são muito importantes para a gestão da empresa mensurar os resultados de cada etapa e, assim, avaliar se os objetivos estão sendo alcançados ou não. 

Depois que definir os indicadores serão possível acompanhar o desempenho da produção, avaliar as situações para melhorar e evitar prejuízos, bem como pode-se ter um maior controle do fluxo de caixa de entrada e saída, e ainda verificar se a atuação dos colaboradores está de acordo com o que foi proposto. 

Ou seja, os indicadores vão auxiliar a sua empresa a estar em constante aprimoramento e evitar gargalos em sua produção. 

É possível implementar parâmetros a partir de fichas técnicas que possuem informações sobre o estado ideal do produto. Esses parâmetros podem ser utilizados em todo o processo de inspeção de cargas e estoques até a comercialização.

E se tratando de alimentos, pode ser usado parâmetros para verificar aspectos como a coloração, peso da embalagem, estágios de maturação, entre outros. 

Banner2

Um exemplo de indicador é o Return on Investment (ROI), um dos mais utilizados pelas empresas, possui uma ferramenta que permite análises sistêmicas e auxilia na organização para assegurar qualidade de produtos e serviços de modo mais ágil.     

Passo 4 – Defina os Pontos Críticos de Controle (PCC)

Uma padaria também deve ter controle de qualidade de alimentos

É muito importante também definir os pontos críticos de controle, pois são pontos de operação e procedimentos que visam medidas preventivas de controle durante as etapas de fabricação, tanto para eliminar os riscos à saúde do consumidor, como para evitar a perda de qualidade do produto e fraude econômica. 

Numa produção de laticínios, por exemplo, esse passo é essencial uma vez que o produtor vai buscar formas da matéria-prima (o leite) de ser extraída sem que ocorra a contaminação, logo, de forma mecanizada para garantir a higienização. 

Então, definir esses pontos críticos acarretarão um impacto significativo na qualidade e segurança dos produtos, o que é necessário para que o produto seja aprovado pela Anvisa e seja comercializado. 

Alguns aspectos que devem ser considerados para estabelecer os PCC: 

  • Fazer o levantamento de todos os riscos que podem afetar a segurança e higiene do produto;
  • Pensar em formas de reduzir e minimizar o impacto sobre a saúde e o meio ambiente
  • Criar uma comunicação transparente com o cliente; 

Passo 5 – Implemente sistemas automatizados 

Implementar sistemas automatizados é um passo que vai tornar mais eficiente o controle de qualidade da sua empresa. 

Existem muitas ferramentas tecnológicas que auxiliam no controle de estoques, na comunicação entre os setores e equipes, no acompanhamento dos indicadores de desempenho e muitas outras demandas que podem ser tratadas rapidamente

Se tratando de produtos alimentícios frios, a implementação de softwares é bastante útil para monitorar a temperatura, sendo viável acompanhar 24 horas e acionar o sistema para notificar caso apareça alguma anormalidade para evitar possíveis prejuízos.  

O que vem ganhando destaque é os chamados sistemas ERPs (Enterprise Resource Planning ou sistemas de gestão integrada), sendo softwares que integram os dados e as informações com os processos de uma organização, em um único sistema, e aumentando a automação do negócio, por isso, vale o investimento nessas tecnologias.

Confira alguns processos que esses softwares possibilitam: 

  • Integração dos departamentos e melhor comunicação entre os setores;
  • Elaboração de técnicas alimentares que garantem melhor qualidade; 
  • Alta padronização dos processos;
  • Redução de riscos e de custos; 
  • Maior rastreabilidade dos processos de produção;
  • Controle de estoques de forma efetiva e melhoria no acondicionamento da mercadoria; 
  • Maior dinamização, agilidade e produtividade; 

Passo 6 – Monitore e faça ajustes 

Último e não menos importante, esse passo mantém sua empresa em constante melhoria no controle de qualidade dos produtos alimentícios.

Acompanhar as etapas de produção e monitorar os resultados dos pontos críticos e dos indicadores estimados possibilitam visualizar e desenvolver formas de tornar o controle cada vez mais eficiente.

Somente por meio do acompanhamento será possível fazer ajustes, detectar e corrigir erros, assim como verificar o desempenho e engajamento dos colaboradores para evitar a quebra da cadeia de produção. 

Além do monitoramento, os feedbacks dos clientes e colaboradores também devem ser considerados para fazer a análise da gestão, com intuito de manter os resultados positivos e sanar os pontos insatisfatórios e, consequentemente, a empresa ter um crescimento sólido e bem-sucedido.

E para concluir, vimos os 6 passos imprescindíveis que uma empresa do ramo alimentício deve seguir para realizar um controle de qualidade eficiente e cumprir as legislações requeridas. 

Por hoje é só, até a próxima! ;)  

Entenda o novo marco do saneamento!
As principais formas de mitigar a emissão de carbono

Outros assuntos:

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CNPJ: 72.387.608/0001-21

A Fluxo Consultoria é uma empresa sem fins lucrativos, visando fomentar o empreendedorismo no Brasil através de projetos de engenharia de alta qualidade e custo abaixo do mercado. Todo o valor ganho é revertido para a formação profissional dos nossos membros e alunos da UFRJ.