skip to Main Content

Saiba qual é a diferença entre 3 tipos de ar condicionado: ar de parede, Split e central

Não sabe qual ar condicionado é o ideal para o seu espaço? Entenda aqui as diferenças entre três modelos comuns: o ar de parede, split e o central. 

No Brasil, o uso do ar condicionado é quase uma obrigação de qualquer residência ou estabelecimento. Em dias quentes de verão neste país tropical, o ar condicionado pode salvar o dia.

Mesmo assim, o ar condicionado pode aumentar muito os gastos, dependendo dos seus cuidados com o aparelho, sua instalação e a compra do modelo certo. Por isso é necessário entender com cuidado qual ar condicionado tem o melhor custo-benefício para você.

Mas, entre tantos modelos e tipos diferentes, como escolher o melhor ar condicionado para as suas necessidades?

Primeiramente, é preciso entender o funcionamento de um ar condicionado. Assim, podemos detalhar as características de cada modelo, as suas vantagens e as desvantagens. Dessa forma, conseguiremos selecionar o seu ar condicionado ideal.

Funcionamento de um Ar Condicionado

Todo ar condicionado possui os mesmos princípios básicos de funcionamento. 

Primeiramente, deve-se entender como o ar do ambiente é resfriado, para depois compreender o mecanismo do ar condicionado. Dessa forma,  a refrigeração é feita por meio do uso de um fluido refrigerante

Este fluido é comprimido pelo compressor e transformado em um gás quente, de alta pressão. Esse gás passa então pelo trocador de calor, a parte do aparelho que fica do lado de fora. Assim, o gás quente consegue dissipar calor para o ambiente externo. 

Depois disso, o gás passa pela condensadora, onde ele é transformado em um líquido. O fluido, por sua vez, passa por uma válvula de expansão  e por isso, ele se transforma em um gás frio de baixa pressão.

O gás frio passa então pela parte do aparelho que entra em contato com o ambiente interno. Dessa forma, ele absorve calor deste espaço e, consequentemente, o resfria. Assim, o fluido refrigerante segue esse ciclo continuamente.

Mas se todo ar condicionado segue esse sistema, quais são suas diferenças?

1) Ar Condicionado de parede

Um dos mais tradicionais e conhecidos entre os brasileiros. O ar condicionado de parede, também conhecido como de janela, é composto por uma única unidade, que comporta todos os seus componentes.

O ar condicionado de parede é composto por:

  • um compressor;
  • uma evaporadora;
  • uma condensadora; 
  • uma válvula de expansão; 
  • ventiladores;
  • uma unidade de controle.
por dentro de um ar condicionado de janela
Fonte: HowStuffWorks.com

O funcionamento deste aparelho segue o sistema explicado anteriormente. Ele ainda possui os ventiladores, que servem para ajudar os trocadores de calor a espalhar o ar quente no ambiente externo e o ar frio no ambiente sendo refrigerado. A unidade de controle é por onde o usuário do aparelho informa a temperatura desejada. Ela pode ser um botão ou um controle remoto.

Por possuir todos os componentes em um aparelho compacto, o ar condicionado de parede é menor, ocupando assim menos espaço. Este modelo é fabricado para ser mais compacto, para que ele realmente encaixe em uma janela. 

ar condicionado de parede em um apartamento
Fonte: Pixabay

Este modelo é ideal para refrigerar espaços pequenos e fechados. Isto é porque a potência do ar condicionado de parede é pequena, variando entre 7.000 e 30.000 BTUs (British Thermal Unit) por hora.

A unidade BTU é usada para medir a capacidade, ou seja, a potência de um ar condicionado. Para calcular a quantidade de BTUs ideal para refrigerar seu espaço, é recomendado fazer um projeto de climatização. Dessa forma, será mais fácil escolher um ar condicionado com uma capacidade mais adequada para o seu ambiente. Assim, o aparelho comprado dará vazão, mas também não terá uma potência muito acima do necessário, evitando desperdício de energia.

O ar de parede possui uma instalação mais fácil, já que é composto de apenas um componente.

Contudo, o ar de parede é o que produz mais ruído, comparado aos outros modelos que serão descritos aqui. Isso ocorre porque, como todos os componentes ficam juntos em uma única unidade, os que produzem mais barulho não podem ser mantidos isolados do ambiente.

A manutenção deste tipo de ar condicionado é fácil e suas peças são usualmente mais baratas. 

O preço de um ar condicionado de parede é geralmente menor do que qualquer outro modelo de ar condicionado. Porém, seu custo a longo prazo pode acabar sendo maior, já que este aparelho acaba consumindo mais energia ao longo do tempo.

2) Ar condicionado Split

O modelo de ar condicionado Split vem crescendo exponencialmente sua popularidade no país e pode ser encontrado em inúmeros tipos de espaços diferentes, como residências, escritórios, academias, áreas de comércio, entre outros. 

Seu princípio de funcionamento é o mesmo do ar de parede, mas a diferença é a posição dos componentes. Diferente do ar de parede, o Split separa seus componentes em duas unidades: externa e interna. 

por dentro de um ar condicionado split
Fonte: Construindodecor.com

A unidade externa é a condensadora. O compressor se encontra nela, e é aqui onde o fluido refrigerante entra em contato com o ambiente externo, para dissipar calor. 

A unidade interna é a evaporadora. Ela é a parte em que o ar condicionado entra em contato com o local a ser refrigerado, e o fluido refrigerante absorve calor deste espaço.

As duas unidades são interligadas por tubulações, por onde passa o fluido refrigerante. Ele sai da condensadora e vai até a evaporadora, e em seguida volta para a condensadora.

Dessa forma, a unidade externa pode ser instalada em outro lugar, longe do ambiente climatizado. Assim, o Split é capaz de providenciar um maior isolamento acústico, já que as partes do aparelho que promovem ruído ficam isoladas do ambiente.

Como o aparelho é dividido em dois, a parte visível no aparelho acaba sendo menor.

Diferente do ar de parede, o Split possui uma instalação um pouco mais complicada. Como este aparelho conta com duas unidades, além da tubulação, é mais recomendado que ele seja instalado por um profissional. É preciso encontrar um espaço ideal para a unidade externa, além de caminhos para a tubulação passar. Por esse motivos, a instalação do Split costuma ser mais cara.

A manutenção do Split é similar à do ar de parede. Contudo, a limpeza da tubulação pode ser mais complicada. Além disso, as peças de um ar condicionado Split possuem preços mais altos.
Alguns ar-condicionados Split possuem uma vantagem: a tecnologia inverter. Mas como essa tecnologia funciona?

Banner4
exemplo de um ar condicionado split
Fonte: Divulgação/Samsung

O ar condicionado tradicional mantém o compressor ligado, até que o ambiente chegue à temperatura ideal. Ao alcançar seu objetivo, o compressor desliga e volta a ligar apenas quando for detectado que a temperatura do ambiente aumentou até certo nível. 

Mas qual o problema deste sistema?

Pode parecer que desligar o compressor seja razoável, para evitar o gasto de energia. Mas, na verdade, é o contrário. O ar condicionado consome mais energia para desligar e ligar o compressor continuamente, do que para mantê-lo ligado, dependendo de sua velocidade.

É por isso que a tecnologia inverter promove um menor consumo de energia. Nesta tecnologia, o compressor é capaz de controlar sua velocidade. Assim, quando o ambiente chega à sua temperatura ideal, ao invés de desligar o compressor, ele apenas diminui sua velocidade. Dessa forma, o aparelho não precisa gastar tanta energia para desligá-lo e depois ligá-lo novamente. 

Isso faz com que a eficiência do aparelho seja maior e seu consumo de energia seja muito menor.

Diferente do ar de parede, o Split possui um alcance de potência muito maior. Alguns Splits podem chegar a 80.000 BTU/h, quase três vezes mais potentes do que um ar de parede comum. Por esse motivo, ele não se restringe a apenas espaços pequenos. O ar condicionado Split pode ser usado para refrigerar uma série de espaços diferentes – quartos, academias, escritórios, mercados, entre outros.

Assim, para atender cada espaço, existem diferentes modelos de ar condicionado Split. Eles variam em questões de potência e posição no espaço, podendo ser instalados no teto ou na parede.

O ar condicionado Split possui um custo maior de início, por conta dos gastos com a compra e também com sua instalação. Mas a economia de energia ao longo do tempo é capaz de compensar estes gastos iniciais.

3) Ar condicionado central

Assim como o nome sugere, o ar condicionado central conta com uma unidade central para todas as suas unidades. Isso significa que ele é composto de uma única condensadora, que é capaz de refrigerar mais de um ambiente simultaneamente.

por dentro de um ar condicionado central, toda a funcionalidade dele
Fonte: Tecnicom Industrial

Este tipo de ar condicionado é ideal para refrigerar espaços mais amplos e extensos e vários ambientes ao mesmo tempo, já que ele consegue refrigerar o ambiente rapidamente. Assim, ao invés de instalar vários ar condicionados diferentes – um para cada espaço – o ar condicionado central coordena a refrigeração de todos os espaços.

O consumo de energia de um ar condicionado central é menor, comparado ao uso de vários aparelhos individuais para cada cômodo. Isso é porque, neste sistema, há apenas uma condensadora, mesmo que ela seja mais potente. 

Por ser um sistema mais potente, a condensadora é consequentemente maior e ocupa mais espaço. Assim, deve haver um local adequado para comportá-la.

Este sistema também conta com uma baixa poluição sonora no ambiente a ser climatizado, já que os componentes ruidosos se encontram longe dos espaços refrigerados.

Como há apenas uma condensadora, a manutenção deste sistema é mais fácil, tendo que cuidar de apenas uma condensadora e as evaporadoras. Já no caso do sistema central de dutos, deve-se atentar à condensadora e aos dutos, que acabam tendo uma limpeza mais complicada, dificultando a manutenção deste sistema.

O custo de um ar condicionado central acaba sendo maior inicialmente, mas, por conta da sua economia de energia e sua eficiência, o custo benefício a longo prazo compensa. 

Existem diferentes sistemas de ar condicionado central: o VRF e o sistema de dutos. Apesar de suas diferenças, ambos os sistemas de ar condicionado central contam com uma condensadora para todos os ambientes a serem refrigerados.

Sistema central VRF

O sistema VRF – Fluxo de Refrigerante Variável – é um dos mais avançados. Ele é capaz de controlar a temperatura necessária para cada ambiente separadamente. Assim, a climatização dos espaços é feita por apenas um sistema, mas cada área pode ter a sua temperatura ideal específica.

Como o próprio nome já diz, o fluxo do fluido refrigerante pode ser variável, e por isso cada ambiente pode ser refrigerado de forma independente.

como é um sistema central VRF para um ar condicionado
Fonte: Frigelar.com

Como pode ser visto pela imagem, o sistema VRF permite diferentes tipos de evaporadoras para cada ambiente, conectadas a uma única condensadora (à direita). A caixa de distribuição  fornece o fluido refrigerante para as evaporadoras, de forma a variar o fluxo do fluido dependendo da necessidade de cada uma.

Este sistema é mais adequado para residências, hotéis ou escritórios, devido à independência de escolha de temperatura para cada espaço.

A instalação do sistema VRF é mais fácil do que o sistema de dutos, já que o VRF pode ser instalado em qualquer tipo de construção.

Por ser um sistema que conta com diversas evaporadoras, o custo de um sistema VRF acaba sendo maior do que o de um sistema menos sofisticado, como o ar condicionado central de dutos.

A potência de um sistema VRF é mais alta, podendo chegar a 1.200.000 BTU/h – até 15 vezes mais potente que o Split de maior capacidade.

Sistema central de dutos

Este sistema central funciona a partir de dutos de ar. Eles espalham o ar refrigerado nos diferentes ambientes. Assim, a condensadora refrigera o fluido refrigerante, e os dutos levam o ar frio para todos os ambientes a serem climatizados.

sistema de dutos de um ar condicionado
Fonte: Vetorarcondicionado.com

Como este sistema precisa de muitos dutos grandes, o estabelecimento precisa ter um rebaixamento no teto para poder comportar esse sistema, o que torna sua instalação mais difícil.

Diferentemente do VRF, o sistema de dutos não separa cada ambiente, ou seja, não é possível controlar a temperatura de cada um independentemente. Todos os ambientes são refrigerados para a mesma temperatura. 

Por ser um sistema de dutos, os ambientes não têm aparelhos, como as evaporadoras, visíveis no espaço. Por isso este sistema pode ter uma vantagem estética.

Este sistema de dutos é ideal para refrigeração dos ambientes igualmente, com todos na mesma temperatura.

A potência de um ar condicionado central de dutos varia muito, podendo chegar a 60.000 BTU/h.

Conclusão

Com tudo isso em mente, fica mais fácil entender e escolher o tipo de ar condicionado mais adequado para você. Contudo, para garantir o sistema ideal, mais personalizado e com o melhor custo-benefício, entre em contato com a Fluxo Consultoria, e seu projeto será feito sob medida!

Saiba os principais problemas em desenhos técnicos que inviabilizam a fabricação
Você sabe qual a importância do estudo de viabilidade para a construção de uma máquina?

Outros assuntos:

This Post Has One Comment

  1. […] Ar condicionados e aquecedores, são alguns dos elementos que compõem e caracterizam um sistema de climatização empresarial, e estão sempre presentes em diversas residências, escritórios, empresas, entre outros. E para garantir seu pleno funcionamento e qualidade de vida dos usuários é necessário estar atento às manutenções dos equipamentos e componentes do sistema. […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

CNPJ: 72.387.608/0001-21

A Fluxo Consultoria é uma empresa sem fins lucrativos, visando fomentar o empreendedorismo no Brasil através de projetos de engenharia de alta qualidade e custo abaixo do mercado. Todo o valor ganho é revertido para a formação profissional dos nossos membros e alunos da UFRJ.