skip to Main Content
Greenwashing Para Empresas

Greenwashing: Saiba o que é e porque você deve evitá-lo!

A revolução industrial foi um marco de extrema importância para o desenvolvimento da humanidade e dos meios de produção, possibilitando ascensões incríveis e transformando o processo produtivo manual em algo mecânico, padrão e de grande escala como conhecemos hoje.

Entretanto, a atividade industrial foi e é responsável por boa parte da degradação ambiental, causando impactos extremamente negativos e até mesmo irreversíveis.

Essa degradação ocorre por diversos fatores, sendo os principais deles:

  • Uso exacerbado e inadequado dos recursos naturais: Seja para gerar combustível para o funcionamento de máquinas ou como obra-prima para a produção fatídica, os recursos naturais são amplamente explorados, tornando-se cada vez mais escassos e gerando uma descompensação entre renovação e exploração.
  • Produção em massa de resíduos sólidos e rejeitos: O lixo é sem dúvidas um dos principais problemas ambientais existentes, e a atividade industrial é a principal responsável pela produção do mesmo.
  • Emissão de gases na atmosfera: Outra grande problemática pois influencia diretamente no efeito estufa, causando poluição atmosférica e contribuindo significativamente para a destruição da camada de ozônio.
  • Desmatamento: Geralmente realizado para a construção das empresas e como uma forma de obter obra-prima para as mesmas.
  • Contaminação do solo e ciclos fluviais: Ocorre a partir do despejo inadequado dos resíduos sólidos produzidos, prejudicando o solo e contaminando mares e rios.

Com todas essas problemáticas existentes e resultantes do processo da atividade industrial, biólogos e ecologistas passaram a questionar o modo de realização desses processos, alertando a população acerca dos impactos negativos dos mesmos e dos riscos futuros que o planeta terra corre.

Dessa forma, como consequência da conscientização ambiental há a ascensão de causas naturalistas, tornando-se um movimento com cada vez mais adeptos pelo mundo a fora.

Com a necessidade de se adequar e participar dessas causas (seja para conquistar novos públicos ou por conscientização de fato), muitas empresas passaram a priorizar a sustentabilidade e modificaram completamente suas políticas.

Essa mudança é realizada a partir da adoção de novas medidas capazes de minimizar os impactos negativos, agindo com responsabilidade perante a exploração dos recursos naturais e a dispensação dos resíduos sólidos gerados. 

Vendo a ascensão dessas causas e o sucesso de muitas empresas sustentáveis, algumas corporações passaram a realizar o greenwashing.

Mas afinal, o que é greenwashing?

A palavra inglesa pode ser traduzida e compreendida como: Lavagem verde, maquiagem verde e até mesmo fachada verde.

Essa expressão remete a falsa imagem sustentável e ecofriendly de diversas corporações, as quais promovem a sustentabilidade em campanhas publicitárias, ações e produtos, mas não colocam em prática o que pregam.

Ou seja, a corporação adota uma figura sustentável apenas de forma estratégica e externa, as práticas ruins e nocivas são mantidas e a empresa além de conquistar novos públicos, ganha os créditos de toda uma admiração por medidas inexistentes, agindo de forma irresponsável e inconsciente em relação ao meio ambiente.

Tendo em vista a gravidade do problema e com a finalidade de encontrar essas incoerências, a agência Canadense TerraChoice estabeleceu os 7 sinais do greenwashing, os quais serão descritos a seguir:

  1. Falta de provas: Nesse sinal enquadram-se apelos ambientais os quais não podem ser comprovados a partir de informações facilmente acessíveis. Dessa forma, é importante que todas as empresas evidenciem as medidas ambientais que adotam de forma simples e acessível para o público.
  2. Troca oculta: É o ato de modificar uma prática nociva e divulgar esse feito enquanto adota e mantém outra medida prejudicial.
  3.  Falta de precisão: É o uso de frases mal definidas e sem muitos detalhes, deixando ao cliente uma interpretação aberta e confusa, o que pode gerar muitos entendimentos favoráveis sem comprovação alguma.
  4. Menor dos problemas: Transforma uma afirmação verdadeira em algo grandioso quando na verdade não é. A empresa não acaba com a problemática, apenas diminui algum componente dela e gera uma auto-promoção a partir de uma redução de problema que no fim das contas não muda em nada os impactos negativos existentes. 
  5. Falta de relevância: Ocorre quando uma  empresa divulga que não usa tal prática ou substância nociva, chamando a atenção de diversos consumidores. Entretanto,  a prática ou substância divulgada já é  proibida por lei e a empresa se promove a partir de uma ação que já teria de realizar obrigatoriamente. Não é um mérito da mesma.
  6. Mentiras: A empresa adota discursos  completamente falsos e inconsistentes  com a realidade
  7. Falsos rótulos: A empresa passa a utilizar rótulos falsos para enganar  e coagir o público.

Mais que uma propaganda enganosa, representa uma infidelidade com os clientes e uma vez que o greenwashing é descoberto, toda a credibilidade e autoridade da empresa vai a zero.

Por isso, é de extrema importância evitá-lo em seu negócio e se atentar a todos os malefícios que essa prática gera.

Para elucidar como evitar o  greenwashing e a forma responsável de agir perante as informações dadas aos seus clientes,  preparamos a seguir uma lista com os principais pontos para que  você não cometa um dos sete sinais acima.   

Priorize verdadeiramente a sustentabilidade

Se você entende a importância da sustentabilidade empresarial, não há porquê mentir ou  ocultar informações.

O primeiro passo para não cometer o greenwashing é realmente respeitar e priorizar as pautas naturalistas, sendo um apoiador e praticante das mesmas de forma séria e responsável.

Estude e entenda a fundo a sustentabilidade

Além de apoiar e priorizar, é muito importante conhecer e entender como funciona a sustentabilidade.

As visões acerca do tema costumam ser muito gerais, o que acarreta um desconhecimento de todas as complexidades envolvidas no ato de ser sustentável de forma coerente.   

Por isso, é importante sair dessas considerações e ir a fundo no assunto, assim, você evita praticar ações unicamente positivas e passa a agir de  forma realmente sustentável, atentando-se a todos os detalhes envolvidos nesse processo.

Comprove tudo aquilo que divulga

Como dito no primeiro sinal de greenwashing, as empresas precisam provar de forma simples e acessível às medidas que dizem adotar.

Por isso, só publique informações que possa comprovar. Implemente essas evidências nas próprias embalagens e serviços, se possível.

Essa atitude além de evitar possíveis contestações, passa confiança e seriedade ao seu  público, com certeza das suas ações e da sua veracidade.

Seja claro e detalhista

Evite frases abertas e mal definidas, preze sempre pela clareza de informações e tente fornecer o máximo de detalhes possíveis.

Tal atitude evita possíveis interpretações sem esclarecimento prévio, tornando a publicidade mais assertiva e completamente verdadeira.

Seja completamente honesto e transparente com seus consumidores

Com a disseminação  das tecnologias o conhecimento tornou-se fácil e acessível.

Em decorrência disso, os clientes tornam-se cada vez mais conscientes acerca de diversos temas, inclusive os abordados pela sua  empresa.

Por isso,  é importante ser transparente nas suas posições e medidas, sem  tentar enganar e mentir para quem mais importa para você: o seu cliente.

Adote medidas realmente significativas

Não se prenda a pequenas adequações as quais não representam grandes mudanças.

Invista em uma revolução verdadeiramente sustentável,  não seja praticante do menor dos problemas.

Uma boa opção para este tópico é contratar uma empresa especializada no ramo da sustentabilidade, que apresentará medidas eficazes e capazes  de contribuir verdadeiramente  com o meio ambiente.

Conclusão

Por fim, agora que você entende o que é greenwashing e sabe como evitá-lo, basta seguir as dicas apontadas e adotar uma premissa sustentável e ,acima de tudo, verdadeira.

Lembre-se sempre: É melhor não possuir mérito algum do que possuir mérito por algo que não fez. 

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *