skip to Main Content
O Que é Indústria 4.0? Definição E Cenário No Brasil

O que é Indústria 4.0? Definição e cenário no Brasil

Ao longo de sua existência, o mundo passou por diversas transformações, guerras, extinções e avanços.

Entre os avanços do meio produtivo estão às três primeiras revoluções industriais e a Quarta, que estamos vivenciando atualmente.

  1. Enquanto a Primeira Revolução Industrial ficou conhecida por desenvolver o mecanicismo;
  2. A Segunda, novas formas para gerar energia
  3. Já a Terceira, pela automação dos processos;
  4. E a Quarta Revolução Industrial veio para agregar uma série de elementos como a Inteligência Artificial, Big Data e mais um conjunto de tecnologias que transpassam as barreiras do mundo físico, digital e até biológico.

Sabendo da importância de estar por dentro desse grande passo da humanidade, neste post vamos te mostrar o que é indústria 4.0 e como o Brasil irá reagir a essa mudança.

O que é Indústria 4.0?

A Indústria 4.0, também conhecida como Quarta Revolução Industrial, é a expressão que nomeia o período em que vivemos.

O qual está permeado por uma série de tecnologias de automação, inteligência artificial, internet das coisas, impressão em 3D e tantas outras inovações que vieram para transformar a forma como produzimos, prestamos serviços e vivemos.

Porém, com tantas novidades à disposição no mercado, pode parecer difícil acompanhar o ritmo.

Mas é importante ter em mente que esses recursos são também excelentes oportunidades para agregar valor ao seu produto ou serviço.

O que muda com a indústria 4.0?

Com esses avanços tecnológicos, as organizações em geral passaram a funcionar de uma maneira mais inteligente, gerando um grande impacto e avanços exponenciais na economia.

Exemplo super contemporâneo disso são a quantidade de reuniões virtuais que estão acontecendo por causa da pandemia de Covid-19 que infelizmente se instaurou ao redor do planeta.

Mas, antes desse episódio, algumas empresas já optavam por essa modalidade de reunião.

No entanto, os riscos inerentes à exposição ou até mesmo as medidas legais instauradas pelos governos influenciaram muitas outras empresas a aderirem a esse mesmo modelo também.

E já pensou se essa possibilidade de chamadas de vídeo não existisse?

Quantas oportunidades de negócio poderiam ser perdidas? Quanto trabalho deixaria de ser feito? Quantas pessoas demitidas? E o quão maiores seriam os índices de contaminação?

trabalhadores fazendo reunião virtual
Foto de Startup Stock Photos no Pexels

Outra grande vantagem é a construção de bancos de dados em tempo real, já que a informação circula de maneira muito rápida ou até mesmo instantânea, o que auxiliará no próprio processo produtivo e na tomada de decisões.

Banner3Powered by Rock Convert

Além disso, a possibilidade de alterar e reprogramar as máquinas com mais facilidade, também permitirá maior flexibilização e agilidade à produção.

Também, há ainda a integração das operações, facilitando a comunicação com toda a cadeia produtiva, incluindo desde os fornecedores até os clientes finais, resultando em uma gestão da demanda muito mais eficiente.

Além disso, a Indústria 4.0 costuma gerar menos custo às empresas, uma vez que, entre outras economias, o número de pessoas para gerenciar e manter informações acaba sendo menor.

Assim como o tempo gasto nas tomadas de decisão que também é reduzido.

Somado a isso, as máquinas estão cada vez mais aptas a realizarem funções que já foram humanas um dia.

E, muitas vezes, as fazem de forma mais rápida e eficiente que os próprios humanos, o que acaba rendendo melhores resultados.

Porém, a grande desvantagem que isso pode acarretar é a diminuição dos postos de trabalho e, consequentemente, o aumento do desemprego.

Embora muitos acreditem que a Quarta Revolução Industrial traga com ela uma nova infinidade de oportunidades de profissões.

Principais tecnologias do cenário da Indústria 4.0

A Indústria 4.0 traz consigo muitas mudanças significativas para a forma de trabalhar que tínhamos e entre essas novidades estão:

Inteligência Artificial (IA)

Consiste em dotar robôs ou softwares com a simulação da capacidade de raciocínio, tomada de decisões, resolução de problemas por meio da automatização de processos.

Exemplos: o Facebook utiliza inteligência artificial para detectar e remover imagens impróprias da plataforma.

Sistemas Ciber-Físicos (CPS)

A fusão entre o mundo digital e físico, onde todo objeto ou processo físico possui uma representação digital, ou seja, uma ligação entre computação, rede e mudo físico.

Big Data Analytic

É um recurso utilizado para análise de, geralmente uma grande quantidade de dados, para descobrir tendências, algum tipo de padrão, correlações e outras informações úteis que se possa tirar daqueles dados fornecidos.

Computação na nuvem

Transmissão de qualquer serviço hospedado pela internet.

Internet das Coisas (IoT)

Consiste em fornecer a capacidade de controlar objetos físicos que estejam conectados à internet de maneira coordenada.

Exemplo: carros autônomos se comunicando entre eles para tomarem decisões, casas com sistemas automáticos para regular temperatura e/ou a luminosidade.

Biologia Sintética (SynBio)

Abrange as novas tecnologias da química, biologia e outras ciências que recriam partes biológicas como células, enzimas, órgãos, etc.

Exemplo: órgãos sintéticos criados para substituir órgãos reais.

Manufatura aditiva

Replicação física de objetos por meio da impressão 3D, os quais podem servir para fabricar outros produtos montados por várias peças, o que constitui uma montagem.

Sensores inteligentes

Já este consiste nos dispositivos que possuem funções desempenhadas após algum tipo estímulo.

Exemplos: tecnologias contidas nos dispositivos wearable, as quais costumam medir coisas como os batimentos cardíacos, a quantidade de passos que a pessoa deu ou de calorias gastas por meio de estímulos de movimento e do próprio corpo que as utiliza.

Outro exemplo pode ser os sensores que regam uma plantação, despertados por estímulos de temperatura ou umidade.

Como está a indústria 4.0 no Brasil

Segundo a Agenda brasileira para a Indústria 4.0, a quarta revolução industrial é uma boa oportunidade para o Brasil, que atualmente ocupa o 69º lugar no ranking do índice global de inovação.

Porém, alguns desafios foram apontados.

Um deles é a diminuição da participação do setor de transformação industrial no PIB, como mostra no gráfico abaixo.

participacao da indústria 4.0 no pib
Imagem de Indústria 4.0

Além disso, no índice global de competitividade em manufatura, o Brasil caiu de 5ª posição em 2010 para a 69ª em 2016.

posição do brasil no ranking global de competitividade em manufatura
Imagem de Indústria 4.0

Os demais dados apresentados pela agenda permitem concluir ainda que, diante do acirramento da competição tecnológica, o nosso país deve se esforçar mais para alcançar as grandes potências. 

A página mostra ainda informações sobre uma aposta para o futuro que é a criação do Grupo de Trabalho da Indústria 4.0 (GTI 4.0).

O qual é composto por mais de 50 instituições que contribuem e debatem sobre ideias para a Indústria 4.0 no Brasil.

Conclusão

Modernizar-se e ingressar no universo da Indústria 4.0 é, não só uma grande chance para o seu negócio crescer, como também para ele sair na frente em relação à concorrência.

Estar por dentro dessas inovações é, portanto, uma forma de se manter à altura do mercado e, nesse cenário, pensar fora da caixa pode te garantir muitas vantagens.

Por fim, você pode utilizar esses recursos para diversas outras coisas como melhorar a divulgação da sua empresa, acelerar processos, oferecer mais comodidade aos seus funcionários e clientes e vários outros benefícios.

Caso queira saber mais sobre o assunto ou até mesmo mencionar algo que não citamos, entra em contato com a gente!

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *